O planejamento financeiro individual é fundamental para qualquer pessoa que deseja guardar dinheiro e realizar os seus sonhos. Apesar disso, a maioria das pessoas não têm o hábito de controlar as suas finanças pessoais. De acordo com uma pesquisa feita pelo SPC Brasil e pela CNDL, 58% dos brasileiros admitem que não se dedicam às próprias finanças.

Essa falta de planejamento afeta diretamente a qualidade de vida do indivíduo, podendo levá-lo ao endividamento e incapacidade de realizar desejos. A crise econômica provocada pela pandemia trouxe uma mudança de comportamento em boa parte da população. A partir daí, houve um aumento do interesse dos brasileiros por planejamento financeiro individual.

Descubra agora o que é planejamento financeiro individual e como montar o seu em 3 passos simples.

O que é planejamento financeiro individual?

O planejamento financeiro pessoal é a capacidade de definir suas metas e organizar suas finanças pessoais em direção a esse plano. Ou seja, ele funciona como um mapa para seus objetivos e sonhos. A partir dele, é possível controlar e organizar ganhos e gastos, melhorando a saúde financeira do indivíduo para, então, traçar objetivos e montar planos de ação.

É recomendado utilizar o planejamento financeiro pessoal durante toda a vida. Ele deve ser personalizado para metas específicas, já que as pessoas possuem diferentes objetivos durante a vida. Esse planejamento é recomendado para todas as pessoas, inclusive aquelas que possuem as contas organizadas. Quem possui dívidas se organiza para apagá-las, e quem está com as contas no azul, pode focar, por exemplo, em investimentos.

Qual a importância de realizar um planejamento?

Qual a importância de realizar um planejamento?

Na história de Alice no País das Maravilhas, o gato Risonho afirma que “para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve”. Essa ideia é muito real, afinal, se você não tem um objetivo traçado, não importa a direção seguida. E é por isso que ter um planejamento financeiro individual é importante para se manter no controle de seus gastos e alcançar os objetivos almejados.

Um bom planejamento financeiro individual ajuda o indivíduo a administrar melhor o seu dinheiro. Ele consegue identificar e eliminar gatos que podem ser desnecessários, proporcionando economia e reduzindo as chances de endividamento. Isso contribui também para que ele consiga fazer uma reserva de emergência, e até mesmo poder alcançar a estabilidade financeira.

Obter essa estabilidade, através do planejamento financeiro individual, colabora para diversas áreas da vida. Afinal, diminuir ou até eliminar preocupações financeiras possibilita investir tempo para se dedicar a assuntos diversos que sejam importantes para o indivíduo.

Como criar seu planejamento financeiro pessoal?

Um bom planejamento financeiro individual deve levar em conta todos os aspectos das suas finanças. Ou seja, é preciso analisar quanto você ganha, quais são os seus gastos fixos, quanto você quer ou pode guardar por mês, quanto você quer reservar para lazer, suas metas, sonhos e objetivos de vida. Cada caso é um caso, mas existem algumas dicas práticas que ajudam nessa missão.

Conheça agora 3 passos simples para montar o seu planejamento financeiro individual.

1. Saiba para onde vai o seu dinheiro

O primeiro passo para iniciar um planejamento financeiro individual é mapear quanto cai na sua conta bancária todos os meses e para onde vai o seu dinheiro. Na hora de identificar os seus gatos, entenda que eles devem se dividir em três categorias: despesas fixas, despesas variáveis e investimentos.

Dentro das despesas fixas podemos citar contas da casa, aluguel, condomínio, entre outras. Despesas variáveis são aquelas que costumam variar de acordo com o mês, como os gastos com alimentação, farmácia, lazer, entre outros. Já os investimentos são a parcela da sua renda que você reserva para uma emergência ou para ter um pé-de-meia no futuro.

De forma ideal, a sua renda deve estar segura da seguinte forma:

  • 50% para despesas fixas;
  • 30% para despesas variáveis;
  • 20% para investimentos.

É claro que cada caso é um caso, e as necessidades de cada pessoa variam. Muito provavelmente, a sua situação atual está longe dessa regra 50- 30- 20, afinal, pouca gente faz isso. Mas o ideal é direcionar as suas despesas para esse caminho, e através de um bom planejamento financeiro individual, você terá consciência de onde é possível aprimorar e dará o primeiro passo rumo a uma vida financeira mais saudável.

2. Conheça mais sobre investimentos e poupança

O que você faz com os 20% dos seus ganhos que deveriam ir para investimentos? Se você ainda não guarda uma parcela do seu salário para investimentos, você faz parte dos 67% de brasileiros que não conseguem poupar dinheiro. E essa realidade ainda é bem comum, e na maioria das vezes, vem explicada pela desculpa de que o indivíduo ganha pouco.

É claro que em um país como o Brasil, cheio de desigualdade, não podemos ignorar o fato de que para muitas pessoas, o salário recebido não é o bastante. Por isso, esse artigo é para você que pensa em começar a poupar, ou para você que já guarda um pouco, mas quer guardar mais ou fazer isso com mais estratégia.

Ainda que você não consiga iniciar já guardando os 20%, utilize o planejamento financeiro individual para te ajudar a começar esse processo. E para isso, é fundamental procurar entender melhor sobre investimentos em renda fixa, renda variável, poupança, reservas de emergência, ações, entre outros.

Há um tempo atrás era difícil encontrar um lugar para aprender sobre esse mundo de investimentos, principalmente de forma gratuita. Hoje, existem diversos canais que se propõem a ensinar tudo o que você precisa saber. E o melhor, de forma online e gratuita, por isso, não perca tempo e se dedique a estudar o assunto.

3. Reeduque seus hábitos com mudanças simples

O fato de você decidir iniciar um planejamento financeiro individual não é o bastante para fazer com que seus hábitos mudem completamente da noite para o dia. É preciso haver um processo de reeducação financeiro que, como tal, acontece gradualmente. A melhor forma de começar é mudar alguns hábitos simples do dia a dia, como decidir por não comprar aquela blusinha que você acha que precisa, mas na verdade só quer ter no armário.

Cada pessoa é única, e para cada um existem pontos mais fáceis e pontos mais difíceis quando se trata de adquirir ou abandonar hábitos. Por isso, o primeiro passo é se questionar qual é o seu perfil e qual o seu ritmo para conseguir trazer mudanças para sua vida.

Se você adquirir novos hábitos facilmente, comece anotando todos os seus gastos no débito e no crédito. Parece besteira, mas essa é a melhor forma de saber para onde o seu dinheiro está indo. Agora, para abandonar um hábito antigo, comece eliminando os excessos. Sempre se questione a respeito da real necessidade de fazer a compra de qualquer objeto, naquele momento.

É preciso entender que as mudanças, geralmente, não são fáceis, por isso, dê um passo de cada vez e sinta a diferença aos poucos. Se você não tem facilidade com mudanças, vá alterando o seu planejamento financeiro individual, conforme for ficando mais fácil alterar os seus hábitos. Dessa forma, fica bem mais tranquilo conseguir manter a nova rotina.

Conheça agora alguns hábitos saudáveis que podem ser incorporados no seu planejamento financeiro individual:

  • Poupar pouco é melhor do que poupar nada. Por isso, guarde, nem que seja R$50 por mês, mas não deixe passar um mês sem poupar nada. Dessa forma você consegue inserir essa prática na sua rotina até que ela se torne um hábito;
  • A chave é encontrar sua própria maneira de organização financeira. Você pode baixar um aplicativo de celular para ajudar nessa organização ou pode recorrer as super úteis planilhas do Excel. O importante é escolher o caminho mais fácil para formar o hábito na sua vida;
  • Evite muitos pagamentos parcelados. É provável que você já tenha adquirido o hábito de recorrer às parcelas no cartão de crédito, para pesar menos no bolso. Mas, geralmente, esse hábito representa um risco para o seu bem-estar financeiro no médio a longo prazo. Por isso, prefira pagar sempre à vista e deixe para parcelar somente as compras de produtos mais caros que, se pagos em parcela única, acabam comprometendo significativamente o seu orçamento para despesas fixas.

Entenda que ninguém conhece melhor a sua realidade do que você mesmo. Por isso, coloque tudo no papel, e analise os pequenos hábitos que você pode mudar ou iniciar. Com o tempo você vai perceber que é menos difícil do que possa parecer.

Benefícios de um planejamento financeiro individual

Um bom planejamento financeiro individual é capaz de proporcionar inúmeros benefícios, entre eles podemos citar:

  • Ver os objetivos pessoais saírem do papel;
  • Evitar riscos financeiros;
  • Parâmetro dos gastos mensais;
  • Ter demonstração dos resultados;
  • Controle do fluxo de caixa;
  • Análises das finanças para redução de custos;
  • Realizar investimentos para o dinheiro render;
  • Preparação para lidar com imprevistos financeiros.

Curso de planejamento financeiro pessoal

Existem diversas fontes de informação que você pode utilizar como guia em seus planos. Seja por meio de redes sociais, blogs, aplicativos ou cursos de planejamento financeiro individual, é possível aprender um pouco mais para garantir melhores estratégias na sua vida financeira.

A Remby oferece orientação personalizada para alcance de metas e sonhos, equilíbrio orçamentário, resolução de dívidas e investimentos. Além disso, você poderá participar de palestras que ajudam na reciclagem e conscientização dos benefícios da estabilidade financeira

Ciclo de um bom planejamento

O planejamento financeiro individual funciona em ciclos que envolvem a definição, o acompanhamento, a redução de custos e a realocação de recursos financeiros. Isso significa que, além de definir o seu plano financeiro individual, você deve fazer um acompanhamento periódico do que foi definido.

Esse acompanhamento permite analisar como as suas estratégias estão sendo desenvolvidas e se elas apresentam alguma falha. Um dos erros mais comuns encontrados nessa análise é gastar mais do que deveria em categorias de gastos desnecessários. Ao identificar a falha, é preciso cortar ou reduzir esse gasto e, em seguida, direcionar esse dinheiro para algo que te aproxime dos seus objetivos.

13 apps para planejamento financeiro online

13 apps para planejamento financeiro online

Hoje em dia existem diversas ferramentas que ajudam a auxiliar na formação financeira e no acompanhamento do seu planejamento pessoal. Você ainda pode utilizar o bom e velho papel e caneta, porém, existem opções automatizadas capazes de descomplicar a maneira de fazer o seu controle financeiro.

Conheça agora os 13 aplicativos mais utilizados no mercado.

  • Mobills;
  • Orçamento Fácil;
  • Organizze;
  • Minhas economias;
  • Money Lover;
  • Monefy;
  • CoinKeeper;
  • Guiabolso;
  • Toshl Finance;
  • Wisecash;
  • Wallet;
  • Spendee;
  • Finance.

Analise regularmente seu planejamento financeiro

O planejamento financeiro individual deve ser feito por toda a vida. Sendo assim, é fundamental analisar regularmente como tudo está funcionando. É preciso entender que as suas metas e objetivos podem ser alterados ao longo do caminho, por isso, é preciso analisar se os seus esforços ainda condizem com os seus sonhos.

Outro ponto importante a ser observado é se o seu ritmo está de acordo com o que foi planejado. Análise se os seus esforços estão permitindo que as suas metas sejam cumpridas no tempo pré-determinado, se esses planos terão que ser adiados, ou mesmo se eles serão antecipados.

Além disso, não esqueça de estar comemorando cada conquista relacionada às suas metas de curto prazo. Isso te mantém incentivado para continuar firme em busca das metas de longo prazo.

Erros comuns ao fazer seu planejamento financeiro

Ao acompanhar e analisar regularmente o seu plano financeiro individual, você perceberá que existem erros que precisam ser corrigidos. Ao identificar um erro, altere a sua estratégia o mais rápido possível, para que ele não traga problemas ao seu resultado. Conheça agora alguns erros comuns e extremamente prejudiciais ao seu planejamento, que precisam ser evitados.

  • Não registrar todos os gastos;
  • Guardar apenas o dinheiro que sobrar;
  • Não estabelecer objetivos e metas;
  • Uso exagerado do cartão de crédito;
  • Fazer muitas refeições fora de casa.

Dúvidas frequentes sobre o assunto

Agora você já sabe o que é um planejamento financeiro individual, a sua importância, e como criá-lo em 3 passos simples. Mas, existem algumas dúvidas frequentes de quem começa a fazer o seu planejamento.

  • A primeira é se existe um limite para o planejamento financeiro. Ele deve ser limitado ao valor que você ganha, priorizando também a economia mensal para garantir o equilíbrio financeiro. Porém, não precisa se limitar a apenas um plano por mês. Você pode escolher a periodicidade que fizer mais sentido para sua realidade;
  • Outra dúvida é como manter a disciplina na organização financeira. O objetivo é a sua motivação principal para manter seu plano, e a disciplina é a sua principal aliada no processo. Manter o seu objetivo sempre em mente pode ser a melhor forma de se manter disciplinado;
  • Por fim, outra dúvida bastante comum é a diferença entre planejamento pessoal e familiar. No primeiro, falamos exclusivamente de você. Nele, consideramos as suas necessidades, desejos e expectativas para o futuro. No planejamento familiar consideramos tanto a renda quanto os gastos de todos os indivíduos que fazem parte do grupo.

Vale a pena fazer um planejamento financeiro?

A forma como lidamos com nosso dinheiro afeta o nosso bem-estar. Por isso, a partir do momento que decidimos iniciar um planejamento financeiro individual, nossa vida muda. Ele te ajuda a desenvolver uma melhor relação com seu dinheiro e, consequentemente, conquistar grandes coisas que você almeja para um futuro próspero.

Sendo assim, com certeza vale muito a pena fazer um planejamento financeiro individual.

× Como podemos te ajudar?