Entre os conceitos que compõem a economia comportamental, o nudge aparece como um dos principais. Trata-se de uma técnica de incentivo relacionada à arquitetura das escolhas que sugere as melhores decisões para as pessoas por meio de pequenas mudanças. Assim, muitas empresas buscam entender o que é nudge para aplicá-lo nos seus processos.

Os seres humanos são influenciados tanto pelas condições externas quanto internas. Ambas são determinantes para que eles decidam entre uma opção e outra, ou seja, existem fatores que moldam sua tomada de decisão.

Dessa forma, o nudge aproveita o lado emocional e sensorial das pessoas com o intuito de persuadi-las, reunindo a economia com dados da psicologia aplicada em problemas atuais e sintetizando-os em micros-incentivos que tornam determinadas opções, ações e decisões, mais atrativas.

No ambiente corporativo, a técnica permite que os gestores possam trabalhar na produtividade e satisfação dos colaboradores, dando pequenos empurrões que reforçam positivamente tarefas passadas para eles, sejam individuais ou em grupo.

Além disso, outros aspectos da vida dos colaboradores são ajudados pelo conceito, especialmente nas finanças, porque bons comportamentos podem ser enfatizados através do nudge, trazendo mais organização e compromisso para parte financeira.

Portanto, continue a leitura e entenda minuciosamente o que é nudge, sua aplicação e como adicioná-lo nos processos da sua empresa, sobretudo na vida financeira dos colaboradores. Vamos lá!

O que é Nudge?

O que é Nudge?

A economia comportamental está sendo difundida gradativamente nos últimos anos nos mais diversos segmentos, oferecendo soluções eficientes que influenciam indivíduos nas suas tomadas de decisão.

Ela é composta por estudos de efeitos psicológicos, sociais, emocionais e cognitivos, além de fatores econômicos envolvidos nas escolhas das pessoas e organizações, principalmente comportamental.

No mundo dos negócios, o ramo da economia comportamental passou a ser relevante após o lançamento do livro best seller publicado em 2008 chamado “Nudge: o empurrão para a escolha certa”, desenvolvido por Cass Sunstein e Richard Thaler.

O material foi essencial para que as empresas entendessem como simples incentivos, pequenas mudanças na abordagem, poderiam culminar em resultados significativos. No entanto, o que é nudge?

Nudge é um conceito incluso na economia comportamental precisamente relacionado à arquitetura das escolhas. O termo significa empurrão numa tradução simples, o que pode ser definido como leves estímulos de comportamento, isto é, incentivos que não restringem a escolha das pessoas.

A teoria funciona de forma bem simples: se você quer que alguém faça algo, torne essa ação fácil de ser executada, porque o complexo desmotiva as pessoas, enquanto o descomplicado as atrai.

Não à toa, o interesse por entender o que é nudge para aplicá-lo têm crescido tanto em instituições públicas como em privadas, por conta do grande potencial para influenciar pessoas às melhores decisões, tornando as opções mais apresentáveis, atrativas, e ainda assim, preservando a liberdade de escolha.

Além disso, o reconhecimento máximo que a economia comportamental e o nudge tiveram até então, aconteceu em 2017 quando o economista e um dos fundadores do conceito, Richard Thaler, recebeu o prêmio Nobel de Ciências Econômicas, justamente por sua importante contribuição com o trabalho pioneiro.

Dessa forma, o esforço de saber o que é nudge para estabelecer mudanças nos comportamento dos indivíduos já tem ficado evidente em vários contextos da sociedade, pois a importância da técnica é mundialmente notória.

Entenda como o Nudge é aplicado

Para entender de fato o que é nudge, precisamos aprofundar um pouco mais o assunto na sua aplicação. O conceito pode ser implementado nos mais variados segmentos de diferentes formas. Pessoas físicas, empresas, escolas e até mesmo o governo podem aderir aos benefícios da técnica.

Essa versatilidade no uso do nudge acontece por um motivo: os seres humanos são influenciáveis por questões para além de sua razão, de seu cognitivo. A técnica se estabelece em conhecimentos da economia e psicologia. E, na sua aplicação, ela parte do pressuposto de que as pessoas são fortemente persuadidas pelo que as cercam, como, por exemplo:

  • ambiente;
  • outras pessoas;
  • cores;
  • sons;
  • temperatura.

Em outras palavras, as pessoas não tomam decisões apenas de forma racional, mas também pelo seu lado sensorial e emocional. O trabalho já realizado nesta área revela que as tomadas de decisões dos seres humanos não se baseiam somente nos custos e benefícios, mas também se adequam às expectativas sociais.

Isso porque, existem modelos mentais intrínsecos nas pessoas que consideram situações e a cultura para compreensão de determinadas experiências, assim como para tomar decisões. Por isso, o nudge busca incentivá-las através da emoção e sentimento.

Ele trabalha no emocional das pessoas com o conhecimento de sua condição interna, sobretudo em relação às necessidades e anseios, os quais podem ser induzidos externamente.

Enquanto no sensorial, por sua vez, a técnica busca oferecer elementos que impactam o indivíduo de alguma forma, como uma apresentação surpreendente, organização do espaço, dentre outras ações que fazem sentido para o contexto de sua inserção. Inclusive, o estímulo sensorial pode ser embasado no lado emocional das pessoas para funcionar devidamente.

Contudo, como o que é nudge pode ser visto na prática? É o que vamos ver no próximo tópico!

4 exemplos práticos da aplicação do Nudge

4 exemplos práticos da aplicação do Nudge

Confira abaixo quatro exemplos que ilustram o que é Nudge e sua capacidade de mudar o macro com mudanças no micro. Como enfatizamos anteriormente, a técnica funciona das mais variadas formas, por isso, vem se tornando popular. Confira:

1. Avenida de Chicago

Em Chicago, a aplicação do nudge aconteceu numa das avenidas da cidade, na qual foram desenhadas várias faixas transversais na pista, um pouco antes de uma curva com nível de periculosidade alto. Assim, os motoristas tinham a sensação de estar acelerando mais do que o necessário e pisavam um mais no freio por conta disso

O resultado? Surpreendente! Segundo dados fornecidos pelo DTC (Departamento de Transportes de Chicago), após 6 meses da pequena mudança feita na avenida, os acidentes no local diminuíram em 36%. Em outras palavras, mortes foram evitadas por um simples ajuste que influenciou a tomada de decisão dos motoristas, exemplificando o que é nudge e sua eficiência.

2. Marketing

Assim também, Robert Cialdini, autor do best seller “As armas da persuasão”, apresenta pesquisas e exemplos que trazem clareza sobre o que é nudge e sua capacidade de influenciar pessoas no marketing por meio de leves incentivos. Isso, em outra de suas obras chamada “Persuasão e Influência”. Entre elas estão:

Necessidade de aprovação social

Como as pessoas costumam tomar decisões consultando, ainda que inconscientemente, os grupos nos quais elas estão inseridas. Esse comportamento pode ser aproveitado pelas empresas, por exemplo.

Com o advento das redes sociais, as pessoas descobrem muito mais rapidamente o que as outras fazem, então podem contar com as opiniões dos seus amigos sem nenhuma dificuldade.

Além disso, quando se trata de alguma referência no estudo, trabalho ou entretenimento, elas adotam para si frases e pensamentos dos influenciadores, o que acaba impactando nas suas escolhas simples e mais difíceis.

Dessa forma, os empreendimentos estão investindo no fortalecimento de sua marca nas redes para trazer essa necessidade de aprovação social à tona nos comportamentos financeiros das pessoas, incluindo-as na experiência que proporciona através de pequenos incentivos feitos com publicações e stories. Ou seja, evidenciando o que é nudge e sua relevância no marketing nas mídias sociais.

Reconhecimento pelo nome

Do mesmo modo, os potenciais clientes das empresas presentes nas redes sociais e na internet possuem uma coisa em comum de acordo com Cialdini: eles preferem ser reconhecidos pelo nome.

A moeda atual, especialmente no digital, chama-se atenção. Por isso, chamar cada pessoa pelo nome é tão importante. Elas se sentem mais valorizadas quando são abordadas individualmente, o que se torna recíproco, pois ela passa a admirar mais o empreendimento depois de ser bem tratada.

Em seguida, lê os conteúdos publicados com mais frequência e assume um compromisso maior com o negócio, comprando um produto ou serviço. Tudo por causa de uma pequena mudança que desencadeou um relacionamento de confiança com a marca, uma simples alteração que deixa o que é nudge ainda mais claro.

Medo da perda

Além disso, o medo da perda é outro aspecto do marketing que exemplifica o que é nudge e sua aplicação. As pessoas possuem mais receio de perder do que alegria por ganhar. Tanto que, damos uma pessoa muito maior para os nossos fracassos, do que para nossas conquistas.

Dessa maneira, o marketing das empresas costumam montar parte de suas estratégias sobre o medo das pessoas, enfatizando em pequenos o cenário de dificuldades que elas vão ter caso decidam não solucionar o problema que tem por meio do produto ou serviço oferecido pela marca.

3. Maçãs fatiadas

Mais um exemplo prático que ajuda a entender o que é nudge, pode ser observado numa pesquisa realizada nos Estados Unidos feita com o intuito de melhorar o comportamento alimentar das crianças. Depois de alguns testes os pesquisadores chegaram a conclusão que houve uma aumento de 60% no consumo de maçãs quando elas eram servidas cortadas. Isso porque, elas ficam muito mais fáceis de serem consumidas, principalmente para crianças.

Essa simples alteração, demonstrando outra vez o que é nudge e sua importância, impactou o consumo e indústria de maçãs na terra dos sonhos, fazendo-as serem oferecidas cortadas nos supermercados e consumidas da mesma maneira pelos americanos na maioria das vezes.

O sucesso do nudge foi tanto que o McDonald’s, maior rede de fast foods do mundo, oferece maçãs cortadas para os consumidores, sendo um de seus melhores acompanhamentos.

4. Atendimento em lojas de roupas

Não há quem não tenha ficado incomodado ao entrar numa loja e perceber que o vendedor não sai do seu pé alguma vez. Inclusive, muitos deixam de comprar em lojas físicas por conta desse inconveniente.

É claro que os vendedores estão exercendo sua função e quanto mais vendas eles fecham, melhor. Só que, boa parte das pessoas preferem escolher suas peças de roupa ou calçados sozinhas, sem ninguém interferindo com perguntas que na visão delas são desnecessárias.

No entanto, o nudge pode ser aplicado pelas lojas para essa questão. Basta definir um código de cores nas sacolas e cestas disponibilizadas para as compras dos clientes e pronto.

Por exemplo, pessoas que querem ser atendidas por um vendedor podem escolher o cesto preto. Enquanto quem prefere não ser incomodado, pode ficar com a opção vermelha.

Além de exemplificar o que é nudge, essa ação ainda mostra como essas pequenas mudanças, por vezes subestimadas, são capazes de resolver problemas recorrentes e insolúveis para muitos.

Nudge nas finanças comportamentais

Nudge nas finanças comportamentais

Dentro do contexto das finanças comportamentais, o que é nudge fica ainda mais fácil de se entender. A técnica serve para neutralizar os principais comportamentos nocivos à saúde financeira do indivíduo, trazendo benefícios, como:

  • organização;
  • redução de custos;
  • educação financeira;
  • planejamento financeiro pessoal.

No ambiente corporativo, por exemplo, as empresas buscam de diversas formas reter os talentos na equipe, porque seus resultados dependem da mão de obra qualificada. Para isso, eles promovem estratégias que visam trazer a satisfação dos colaboradores. Assim, o conceito do nudge pode contribuir tanto na produtividade dos profissionais quanto nas suas finanças. Tornando-os felizes no trabalho.

Os líderes podem promover pequenos eventos internos na empresa ou criar mini programas que estimulem a organização financeira para não manter os colaboradores razoavelmente bem nesse sentido, mas fazê-los crescerem realizando investimentos. 

Ainda pensando em finanças, um outro exemplo de incentivo que pode ser muito promissor é colocar à disposição dos colaboradores alguns programas de consultoria ou planejamento financeiro, facilitando e simplificando o acesso à informação.

Assim como, incentivando que eles adquiram cursos e formações cruciais para seu desenvolvimento profissional e pessoal, encontrando formas de aumentar seu patrimônio.

Além dessas ações serem benéficas para os profissionais, elas também trazem um impacto extremamente positivo para os processos empresariais, o que culmina em ótimos resultados e no crescimento do negócio.

Conclusão

Por fim, entender o que é nudge e suas aplicações, sobretudo nas finanças comportamentais, te permite aproveitar essa estratégia para incentivar os colaboradores da sua empresa.

Como vimos, pequenos detalhes fazem toda a diferença para que alguém faça determinada tarefa, como também para mudar todo um cenário estabelecido por anos em uma avenida, loja de roupas ou consumo.

Sendo assim, sua equipe de colaboradores pode se tornar mais produtiva e comprometida no ambiente laboral, além de ser incentivada em outros aspectos responsáveis por sua satisfação no trabalho, como, por exemplo, a vida financeira.

Com profissionais qualificados e satisfeitos em vestir a camisa do projeto, assim como processos empresariais otimizados por técnicas como o nudge, o resultado não pode ser outro senão a expansão do seu empreendimento.

× Como podemos te ajudar?