A liberdade financeira é um tema que vem sendo cada vez mais explorado nos últimos tempos. Isso aconteceu por um combo de motivos que envolvem a crise que o mundo passou pela pandemia do coronavírus e também a queda brusca da Selic, que obriga os investidores a explorar outras opções além da poupança e dos títulos de renda fixa.

Com isso, houve um aumento considerável das ofertas de conteúdos sobre educação financeira e investimentos na internet. Os bancos e corretoras também passaram a distribuir mais conteúdo informativo sobre o assunto, o que formou um grande movimento que vem despertando em mais pessoas o desejo de alcançar a tão sonhada liberdade financeira.

Conheça agora 11 dicas que vão te ajudar a alcançar a liberdade financeira!

O que é liberdade financeira

O que é liberdade financeira

Liberdade financeira é a situação em que uma pessoa pode ter o estilo de vida que deseja, seja ele qual for, sem precisar se preocupar com dinheiro. Quem possui essa liberdade pode fazer escolhas durante a vida pensando apenas na sua felicidade, e não em quanto isso vai lhe custar.

A origem do dinheiro não altera a liberdade financeira. O importante é que a pessoa não tem amarras, suas escolhas são feitas sem o medo de correr algum risco financeiro. Além disso, alcançar a liberdade financeira não significa parar de trabalhar. Na verdade, significa trabalhar, se quiser, sem real necessidade do dinheiro.

É importante entender que liberdade financeira não é o mesmo que ser milionário. Essa liberdade é individual, e o que é necessário para uma pessoa alcançá-la, pode ser diferente do que é necessário para outra.

Depende das necessidades e do estilo de vida que cada uma leva. Essa situação é alcançada quando conseguimos fazer o temos vontade, realizamos sonhos e sabemos que a situação financeira está segura.

Qual é a importância da liberdade financeira

Qual é a importância da liberdade financeira

As finanças são uma parte importante da rotina de todas as pessoas. Por mais que não se queira valorizar tanto o dinheiro, ele é fundamental para conseguirmos adquirir todas as necessidades básicas que precisamos para viver. Por isso, o melhor caminho é se organizar para conseguir ter escolhas sobre o seu próprio tempo.

Alcançar a liberdade financeira proporciona não ter que se preocupar com o agora. Se você consegue manter todas as suas contas em dia, e ainda ter uma boa reserva financeira, terá maior segurança e poderá pensar no futuro. Isso acaba trazendo um grande benefício, que é uma considerável melhora na qualidade de vida.

Outro benefício é que quem alcança a liberdade financeira pode desfrutar de mais momentos de descanso e lazer. E também colabora para evitar um problema que vem crescendo de forma considerável, que é a ansiedade. Quem vive com preocupações financeiras acabam desenvolvendo doenças da mente, como essa.

A liberdade financeira evita que o indivíduo precise recorrer a alternativas como empréstimos. Eles possuem juros bastante nocivos para a saúde financeira, e não permitem que a pessoa venha a ficar endividada e perca o controle das suas finanças. Sem contar que essa liberdade possibilita ao investidor alcançar objetivos, realizar sonhos e aumentar o seu patrimônio.

10 dicas para alcançar a liberdade financeira

10 dicas para alcançar a liberdade financeira

Agora você já sabe o que é liberdade financeira e porque ela é tão importante. Descubra as 11 melhores dicas para percorrer o caminho que vai te ajudar a alcançar a liberdade financeira.

1. Conheça todos os seus gastos

Na teoria, parece uma dica simples. Porém, na prática, as coisas não são tão fáceis como parecem. A maioria das pessoas não sabem exatamente o que gastam e em que gastam o seu dinheiro. Ter uma noção é completamente diferente de ter todos os dados, exatos, descritos em uma planilha organizada.

Por exemplo, algumas pessoas têm o hábito de utilizar o aplicativo Uber, algumas vezes por mês, com viagens curtas que custam cerca de 15 reais. Ela joga essas viagens no cartão, e no final, não se dá conta de que a quantidade de corridas mensais não é tão pequena. Ela paga a fatura final do cartão sem perceber que só com a Uber gastou 240 reais.

Essa mesma pessoa também gosta de usar o aplicativo do iFood. Mas acredita que só faz isso de vez em quando, e não passa de 50 reais em cada pedido. Como ela joga no cartão, paga a fatura sem se dar conta de que só do aplicativo de comida, ela gasta no mês uma média de 400 reais, que poderiam estar sendo investidos para alcançar a sua liberdade financeira.

O que ela gasta de “blusinhas” então, nem se fala! Mas como não está tudo descrito em um mesmo lugar para que ela tenha um impacto real, ela não se dá conta do quanto está perdendo todo mês com gastos supérfluos, que poderiam ser cortados ou, pelo menos, diminuídos, e voltados para conseguir alcançar a sua liberdade financeira.

Sendo assim, crie o hábito de anotar tudo que foi gasto no mês. Principalmente, se for no cartão de crédito, porque ele não nos transmite a sensação de perda que pagar no dinheiro proporciona, então acabamos ficando sem controle.

Só de anotar, você já vai começar a se controlar mais. Mas essa planilha, no final do mês, permite uma visão real da sua situação financeira, para, a partir daí, criar estratégias para conquistar a sua liberdade financeira.

2. Faça a sua organização financeira

A partir do momento em que o hábito de anotar todos os gastos é criado, o próximo passo é organizar todas essas anotações. Colocar não só as despesas, mas também todas as receitas. Separar os gastos em fixos e variáveis, e organizar a sua planilha para ter um controle mensal.

Em seguida, com as informações organizadas, é possível decidir o que precisa ser modificado. Identificando a origem dos gastos, com clareza e de forma simplificada, é necessário fazer uma reestruturação, cortando o que precisa ser cortado, e passando a fazer aportes em investimentos para iniciá-los ou aumentar a sua rentabilidade.

3. Pague as dívidas acumuladas

Depois que você conseguir organizar o seu dinheiro, as suas despesas precisam estar sendo pagas, e deve estar sobrando um valor todos os meses. Essa economia, como prioridade, precisa ser usada para quitar todas as suas dívidas. Comece com aquelas que tiverem as maiores taxas de juros, como débitos do cartão de crédito e cheque especial.

Nem todos conseguem quitar as dívidas no curto prazo. Mas o seu direcionamento inicial precisa estar voltado para esse objetivo. Para que isso aconteça, você pode começar negociando o valor em aberto com a instituição bancária. Para isso, é preciso saber o valor real da dívida, entender as condições de negociação e não aceitar qualquer proposta.

Se as condições oferecidas pelo banco não forem o bastante, você pode transferir o seu débito para outro agente financeiro que proponha uma melhor negociação. Quando as dívidas forem totalmente quitadas, continue pagando parcelado apenas quando os juros forem baixos ou inexistentes, assim, as suas dívidas ficam administráveis e dentro do seu planejamento financeiro.

4. Invista na sua qualificação

Quando pensamos em organização financeira, a primeira coisa que vem à mente são os cortes nos gastos. Isso é importante, mas existe um outro ponto que pode facilitar e acelerar bastante o processo, que é investir em qualificação que ajude a aumentar a sua renda, especialmente, em curto espaço de tempo.

Enquanto você precisa trabalhar para acumular dinheiro, é importante aumentar as suas receitas. Acontece que muitas vezes, as pessoas acabam perdendo oportunidades por focar apenas nos cortes de gastos e em investir em educação financeira. A internet é um excelente meio para fazer cursos gratuitos que te ajudem a obter uma promoção ou adquirir uma renda extra, por isso explore essa oportunidade.

5. Diversifique as fontes de renda

Se você é um profissional especializado em qualquer área, e já possui um emprego, pense em formas de diversificar as suas fontes de renda. Por exemplo, com o conhecimento que você já tem na sua área, é possível criar cursos, livros e tutoriais para vender na internet. Esse formato oferece a vantagem de que, após os esforços iniciais, você continuar gerando renda, conforme os interessados surgirem, sem exigir mais trabalho.

Outra opção de gerar uma renda extra é através da criação de consultorias. Esse exemplo é uma renda ativa, e não passiva como a dica anterior, porque exige esforço sempre que um novo serviço for vendido. Porém, é algo que tem flexibilidade de horário e que tende a gerar maiores receitas.

6. Elabore e execute um planejamento financeiro

Toda ação precisa ser iniciada com um bom planejamento para que se tenha bons resultados no final. O mesmo acontece na hora de buscar a sua liberdade financeira. Esse será o seu maior aliado nessa missão, por isso, pense nos detalhes. Estabeleça metas e objetivos, sempre dentro de um prazo realista determinado por você.

Liste o que você pretende alcançar e o que você precisa fazer para conseguir. Isso inclui os seus ganhos, os seus gastos, e também os seus investimentos. Estipule valores parciais e finais, quanto você precisa economizar a cada mês, e como você vai conseguir esse dinheiro. Assim, calcule o tempo necessário para cada ação.

Suas metas precisam ter curto, médio e longo prazo, com etapas a serem cumpridas e premiações a cada ponto alcançado. E tenha em mente que planejar vai ser a parte mais fácil da busca pela sua liberdade financeira. Esse caminho é muito possível, porém,ele é longo e precisa de disciplina, foco e perseverança.

7. Forme a sua reserva de emergência

Depois que você tiver pago toda a sua dívida, o próximo passo é criar sua reserva de emergência. O dinheiro poupado todos os meses, que era direcionado ao pagamento das suas dívidas, será enviado para uma reserva de emergência. Essa reserva é o ponto inicial para ter, de fato, a sua liberdade financeira.

Essa reserva, como o próprio nome já diz, deve ser utilizada em alguma emergência financeira. Por isso, ela precisa estar em um local onde você possa ter acesso rápido, sempre que precisar. É a melhor forma de não prejudicar os seus demais investimentos e conseguir se manter dentro do caminho traçado para a liberdade financeira.

Os especialistas indicam que essa reserva precisa ser de, no mínimo, cinco ou seis vezes o valor dos seus gastos mensais. Uma boa opção é investir essa reserva no tesouro SELIC, que é um tipo de investimento líquido, seguro, e que possui liquidez diária, ou seja, permite acesso rápido.

8. Entenda o seu perfil de investidor

Depois que a sua reserva de emergência estiver montada, o próximo passo para alcançar a sua liberdade financeira é entender o seu perfil de investidor.

Conservador

Esse é um investidor que  não tem muita disposição para correr riscos. Ele tende a aplicar a maior parte do seu dinheiro em investimentos de renda fixa. Um investidor conservador costuma aplicar o seu dinheiro em títulos públicos do tesouro direto, especialmente o tesouro SELIC e outros com vencimento em até três anos.

Moderado

Esse investidor tem uma disposição maior para os riscos, mas ainda valoriza a segurança. Ele diversifica um pouco mais a sua carteira, mas mantém a maior parte em renda fixa, escolhendo títulos com prazos variados de vencimento. Ele também pode fazer alguns aportes iniciais em investimentos de renda variável como fundos de ações.

Agressivo

Esse é o investidor que tem mais disposição a correr riscos, mas também pode alcançar primeiro a sua liberdade financeira. Ele sofre com as instabilidades do mercado, mas a rentabilidade potencial de suas aplicações é bem maior que a dos demais. Ele escolhe produtos como ações, fundos imobiliários, operações estruturadas, derivativos e contratos futuros.

9. Conheça os principais tipos de investimentos

Existem diversos tipos de investimentos, e cada um possui o seu nível de risco, liquidez e rentabilidade. É preciso entender cada um e escolher aqueles que são melhores dentro da sua estratégia financeira, que será traçada de acordo com o seu perfil de um investidor, rumo à liberdade financeira. Conheça agora alguns deles.

  • Tesouro Direto
  • CDB
  • Letra de Crédito do Agronegócio ou LCA
  • LCI ou Letra de Crédito Imobiliário
  • CRA ou Certificado de Recebimento do Agronegócio
  • Certificados de Recebíveis Imobiliários ou CRI
  • Debêntures
  • Letra de Câmbio
  • Fundos de Investimento
  • Fundos Imobiliários
  • Fundos Multimercados
  • Ações
  • BDR
  • ETF
  • Procure uma ajuda especializada

Você pode e deve estudar sobre investimentos. Porém, existem profissionais, especializados na área, com mais conhecimento, que podem te ajudar. Por isso, busque uma empresa que ofereça consultoria e planejamento financeiro personalizado para te ajudar a alcançar a liberdade financeira.

10. Invista com inteligência

É preciso criar uma carteira de investimentos saudável para conseguir alcançar a sua liberdade financeira. A principal dica para uma carteira equilibrada é nunca investir todo o seu dinheiro em um só produto ou modalidade. Afinal, se você coloca todos os ovos em um único cesto, se ele cair, você ficará sem nenhum ovo.

Sendo assim, um bom investidor, independente do perfil, busca conhecer os diferentes tipos de investimento. A partir daí, ele deve escolher aqueles que se adequam melhor aos seus objetivos. Dessa forma, ele investe com inteligência e forma uma carteira diversificada, para ajudá-lo a alcançar a liberdade financeira.

Você gostou desse nosso artigo? Então, saiba mais sobre as 7 dicas simples de organização financeira para te ajudar a conseguir alcançar a tão sonhada liberdade financeira.

× Como podemos te ajudar?